JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
ir para o topo

Espírito Santo é o 3º estado do País em mortes por causa do álcool

Principais problemas são acidentes de trânsito, violência e cirrose hepática, além de transtornos mentais e comportamentais.

O médico João Chequer disse que o consumo de bebida alcoólica pode ser nocivo até quando não há dependência (Foto: Antonio Moreira)

O Espírito Santo é o terceiro estado do País com maior número de mortes em decorrência do consumo de álcool. Os dados são do levantamento do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool.

São 41,5 mortes ligadas à bebida a cada 100 mil habitantes, deixando o Espírito Santo atrás apenas de Pernambuco (41,7/100 mil) e Sergipe (44,2 mortes/100 mil). A pesquisa revela que as mortes por consumo de álcool representam 6,7% do total de óbitos no Estado.

As principais causas de mortes ligadas ao uso de álcool foram: acidente de trânsito (19,7%), violência interpessoal (16,1%), cirrose hepática (15,5%) e transtornos mentais e comportamentais (10,2%).

Para o médico João Chequer, especialista em Dependência Química, as pessoas tendem a consumir mais bebidas alcoólicas no Estado, por ser uma região com grande extensão litorânea.

“Sol, sal, praia, o verão, tudo isso influencia o capixaba a beber. Também tem o fator cultural. Aqui, tudo vira uma festa”, ressaltou o especialista.

O médico ainda explicou que o álcool pode ser nocivo até mesmo quando não há dependência. “Ele provoca no indivíduo doenças neurológicas e agride o coração, o pulmão, provoca aumento da pressão arterial e está relacionado a 30% de todas as doenças malignas do nosso organismo”, disse.

Conforme o levantamento, o Estado registrou 7.443 internações relacionadas ao uso de álcool em 2018. Foram 6.998 internações atribuídas parcialmente ao álcool e 445 totalmente atribuídas ao uso de álcool. Além disso, houve aumento no consumo entre as mulheres e pessoas acima de 55 anos.

“Temos observado um aumento no uso de álcool entre as mulheres e idosos, não só em relação à quantidade, mas também à frequência. Eles são mais vulneráveis aos efeitos do álcool por razões fisiológicas e, por isso, é recomendado mais atenção ao consumo de bebidas”, destacou o psiquiatra Arthur Guerra, presidente do Cisa.

Fonte:

Author avatar
RAV - Renovando a Vida
https://renovandoavida.com.br
Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.