JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
ir para o topo

Como internar um dependente químico contra a sua vontade

O que fazer quando a pessoa está doente e se recusa a fazer o tratamento?

O problema da dependência química é global e afeta milhares de famílias pelo mundo. Definida como uma doença pela Organização Mundial de Saúde (OMS), ela ainda possui características muito singulares que geram dúvidas nas famílias que possuem um dependente químico.

Muitas vezes, a pessoa está tão doente que se recusa a fazer o tratamento. Assim, a situação pode se tornar ainda mais grave.  Além disso, quando o dependente químico está em constante recusa, é comum que até mesmo a família desista dele. Portanto, se você está sofrendo com alguém com esse tipo de problema, não desista. Continue lendo este artigo e entenda como conseguir uma internação compulsória.

O que é uma internação compulsória ?

Uma internação compulsória para dependente químico é aquela realizada contra a sua vontade.

Muitas pessoas leigas no assunto acreditam que essa não é a melhor maneira de tratar o doente. Assim, elas afirmar que o primeiro passo para a recuperação é a vontade de querer ficar curado. No entanto, é preciso analisar toda a problemática que envolve esse tema.

O que é dependência química?

A dependência química é uma doença progressiva, incurável e fatal.

Progressiva, porque o dependente químico evolui dentro dela. Se analisarmos o histórico de dependentes químicos, podemos perceber que muitos deles tiveram o início dentro do vício com drogas consideradas mais “ leves” como o álcool e a maconha, que foram evoluindo para as drogas mais pesadas como a cocaína e o crack.
Incurável, porque um vez dependente químico, sempre dependente químico. A doença não tem cura, mas tem tratamento. Assim, seu portador deve se manter em constante estado de vigilância para não recair no vício.

Fatal, porque se não tratada, ela pode levar o indivíduo à morte de diversas formas. Seja por overdose, por doenças que surgem em razão da dependência, como pneumonia, hepatite, ou até mesmo, pela criminalidade, que é muito comum em indivíduos que possuem o vício.

Afirmamos então que a dependência química é uma doença biopsicossocial, ou seja, ela afeta todas as áreas da vida do indivíduo. Bio, porque afeta o corpo, psico, porque afeta a mente e social, porque afeta o modo como o dependente químico se relaciona com as pessoas. Portanto, dependente químico não é “ drogado”, “ trombadinha” ou “ pinguço”, é um ser vivo que precisa de ajuda.

Como internar um dependente químico compulsoriamente?

Para que você consiga internar o dependente químico de forma compulsória, deve procurar apoio judicial. Esse tipo de internação está prevista na Lei Federal de Psiquiatria nº 10.216/2001.

Assim, é preciso que você procure um médico psiquiatra para que este realize o pedido junto ao Ministério Público. A lei ainda determina que os responsáveis pelo estabelecimento onde foi realizado o pedido tem o prazo de 72 horas para informar o Ministério Público sobre a internação e seus motivos.

Dessa forma, é possível, então, internar o dependente químico independentemente de sua vontade. Nesse caso, entende-se que o indivíduo, em situação grave em razão do vício, está oferecendo risco à sua própria vida.

Assim, cabe à família e ao Estado intervirem de maneira adequada. Ficou com alguma dúvida sobre como internar um dependente químico contra a sua vontade? Deixe seu comentário ou entre em contato conosco. Ficaremos satisfeitos em ajudar!

Author avatar
RAV - Renovando a Vida
https://renovandoavida.com.br
Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.