JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
ENDEREÇO:
Núcleo Rural Alexandre Gusmão - Gleba 03 Lote 369 Chácara 03 e 04
Ceilandia - Brasília/DF
INFORMAÇÕES DE CONTATO:
[email protected]
Tel: (61) 3375-5578 / 3375-6381
Cel: (61) 98442-3416

Cocaína, álcool e crack são as drogas mais usadas no RJ

Levantamento foi feito entre usuários atendidos pela Sepredeq em 2014.

Entre eles, 57,8% usam cocaína, 37,1%, álcool e 21,3%, crack.

Um estudo coordenado pela Secretaria de Prevenção à Dependência Química (Sepredeq) entre usuários assistidos pelo órgão levantou as drogas mais consumidas entre eles no Rio de Janeiro. Segundo o levantamento realizado com 2,9 mil usuários que buscaram atendimento em 2014, o crack é a terceira drogas mais consumidas no estado, atrás apenas do álcool e da cocaína. De acordo com os números, 57,8% usam cocaína inalada, 37,1% são usuários do álcool e 21,3%, de crack.

Sobre os usuários de crack, a maioria é do sexo masculino (79%), não concluiu o ensino fundamental (47%), de cor parda (42,6%), e tem entre 18 a 34 anos (66,2%). Outro dado chama a atenção: 72,9% não mora na rua, embora passe boa parte do tempo nos locais de uso da droga. Os dados foram apurados no Observatório de Gestão e Informação sobre Drogas, ligado à Sepredeq.

Desde a criação da Sepredeq, em 2013, mais de cinco mil usuários de drogas foram atendidos. A rede do Estado conta com 514 vagas para acolhimento de usuários de drogas.

A partir desse mês, o Comitê Estadual de Gestão do Plano de Enfrentamento ao Crack visitará os 13 municípios fluminenses que aderiram ao programa federal “Crack, é possível vencer”. O objetivo é monitorar o que foi feito e ajudar os municípios em seus desafios na implementação do Programa.

Confira os dados detalhados sobre o crack entre janeiro e dezembro de 2014:

Sexo:

  • 79% homens
  • 21% mulheres

Escolaridade:

  • 47% têm o ensino fundamental incompleto
  • 18,2% concluíram o ensino médio
  • 2,4% têm ensino superior

Etnia:

  • 32,8% branca
  • 22,4% negra
  • 42,6% parda
  • 2,2% amarela

Idade:

  • 19,1% tem entre 18-24 anos
  • 22,8% tem entre 25-29
  • 24,3% 30-34 anos
  • 13,4% tem 35-39
  • 10,4% tem entre 40-44 anos

Fonte de Pesquisa: G1

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.