JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
ENDEREÇO:
Núcleo Rural Alexandre Gusmão - Gleba 03 Lote 369 Chácara 03 e 04
Ceilandia - Brasília/DF
INFORMAÇÕES DE CONTATO:
[email protected]
Tel: (61) 3375-5578 / 3375-6381
Cel: (61) 98442-3416

Abordagens de tratamento para adolescentes com vício de drogas

O NIDA (National Institute on Drugs Abuse) realizou uma pesquisa sobre evidências de abordagens de tratamento de abuso de substâncias para adolescentes.

Trataremos de uma dessas evidências: Abordagens comportamentais. Além dessa abordagem foram estudas: intervenções comportamentais e familiares, bem como medicamentos. Cada abordagem é projetada para abordar aspectos específicos do uso de drogas por adolescentes e suas consequências para o indivíduo, a família e a sociedade.

Para que qualquer intervenção seja eficaz, o médico que forneça ela precisa ser treinada e bem supervisionada para garantir que segue as instruções e orientações descritas nos manuais de tratamento. A maioria desses tratamentos foi testada por curtos períodos de 12 a 16 semanas, mas para alguns adolescentes, tratamentos mais longos podem ser necessários; essa decisão é tomada caso a caso.

Abordagens Comportamentais

As intervenções comportamentais ajudam os adolescentes a participar ativamente de sua recuperação do abuso e dependência de drogas e aumentam sua capacidade de resistir ao uso de drogas. Em tais abordagens, os terapeutas podem fornecer incentivos para os adolescentes permanecerem abstinentes, modificar atitudes e comportamentos relacionados ao abuso de drogas, ajudar as famílias a melhorar sua comunicação e interações gerais e aumentar as habilidades para lidar com situações estressantes e lidar com as sugestões ambientais que podem desencadear um desejo intenso de drogas. Abaixo estão alguns tratamentos comportamentais que demonstram ser eficazes no tratamento do abuso de substâncias em adolescentes (listados em ordem alfabética).

Abordagem de Reforço da Comunidade para Adolescentes (A-CRA)

O A-CRA é uma intervenção que busca ajudar adolescentes a alcançar e manter a abstinência de drogas, substituindo influências em suas vidas que reforçaram o uso de substâncias por reforçadores familiares, sociais e educacionais ou vocacionais mais saudáveis. Depois de avaliar as necessidades e os níveis de funcionamento do adolescente, o terapeuta escolhe dentre os 17 procedimentos A-CRA para abordar habilidades de resolução de problemas, enfrentamento e comunicação e incentivar a participação ativa em atividades sociais e recreativas construtivas.

Você pode encontrar mais informações em inglês em:

https://en.wikipedia.org/wiki/Adolescent_community_reinforcement_approach

Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)

As estratégias da TCC são baseadas na teoria de que os processos de aprendizagem desempenham um papel crítico no desenvolvimento de comportamentos problemáticos, como o abuso de drogas. Um elemento central da TCC é ensinar aos participantes como antecipar problemas e ajudá-los a desenvolver estratégias eficazes de enfrentamento. Na TCC, os adolescentes exploram as consequências positivas e negativas do uso de drogas. Eles aprendem a monitorar seus sentimentos e pensamentos e a reconhecer padrões de pensamento distorcidos e dicas que acionam o abuso de substâncias; identificar e antecipar situações de alto risco; e aplique uma variedade de habilidades de autocontrole, incluindo regulação emocional e controle da raiva, solução prática de problemas e recusa de substâncias. A TCC pode ser oferecida em ambiente ambulatorial, em sessões individuais ou em grupo (consulte ” Terapia de grupo para adolescentes”).”) ou em ambientes residenciais.

Um bom livro para se aprofundar no assunto é o “Terapia Cognitivo-Comportamental: Teoria e Prática” de Judith S. Beck.

Gerenciamento de Contingência (CM)

A pesquisa demonstrou a eficácia do tratamento usando reforços imediatos e tangíveis para comportamentos positivos para modificar comportamentos problemáticos como abuso de substâncias. Essa abordagem, conhecida como Gerenciamento de Contingência (CM), oferece aos adolescentes a oportunidade de obter incentivos de baixo custo, como prêmios ou vales em dinheiro (por itens alimentares, passes para filmes e outros bens pessoais) em troca da participação no tratamento medicamentoso, alcançando importantes objetivos do tratamento e não usar drogas. O objetivo do CM é enfraquecer a influência do reforço derivado do uso de drogas e substituí-lo por reforços derivados de atividades mais saudáveis ​​e abstinência de drogas. Para os adolescentes, o CM tem sido oferecido em uma variedade de ambientes, e os pais podem ser treinados para aplicar esse método em casa. O CM é tipicamente combinado com um tratamento psicossocial ou com um medicamento (quando disponível). Evidências recentes também apoiam o uso de MC baseada na Web para ajudar adolescentes a parar de fumar.

Uma boa dica para saber mais sobre esse assunto é o artigo criado pelo EMCDDA – European Monitoring Centre for Drugs Addiction. “Como o Gerenciamento de Contingência pode apoiar o tratamento de transtornos por uso de substâncias? Uma revisão sistemática.”

Terapia de aprimoramento motivacional (MET)

O MET é uma abordagem de aconselhamento que ajuda os adolescentes a resolver sua ambivalência quanto ao tratamento e ao abandono do uso de drogas. Essa abordagem, baseada em uma técnica chamada entrevista motivacional, geralmente inclui uma avaliação inicial da motivação do adolescente em participar do tratamento, seguida de uma a três sessões individuais nas quais um terapeuta ajuda o paciente a desenvolver um desejo de participar do tratamento, fornecendo feedback sem confronto. Sendo empático, porém diretivo, o terapeuta discute a necessidade de tratamento e tenta extrair declarações auto-motivacionais do adolescente para fortalecer sua motivação e construir um plano de mudança. Se o adolescente resiste, o terapeuta responde de maneira neutra, em vez de contradizer ou corrigir o paciente.

É possível conhecer mais sobre o assunto pelo Motivational Enhancement Therapy Manual, criado pelo NIDA.

Terapia de Facilitação em Doze Passos

A terapia de facilitação em doze passos foi projetada para aumentar a probabilidade de um adolescente com problema de abuso de drogas se envolver ativamente em um programa de 12 passos como Alcoólicos Anônimos (AA) ou Narcóticos Anônimos (NA). Esses programas enfatizam a aceitação do participante de que a vida se tornou incontrolável, que é necessária a abstinência do uso de drogas e que somente a força de vontade não pode superar o problema. Os benefícios da participação em programa de 12 passos se estendem a todos, a idade não é questão aqui. O programa é tão benéfico quem em pesquisa demonstrou-se que até mesmo pacientes ambulatoriais adolescentes são atingidos com visitas de anônimos informando como suas vidas se transformaram após participarem de um grupo de ajuda. A pesquisa também sugere que estratégias de facilitação em 12 passos, sejam criadas de forma específica para adolescentes, isso de forma a ajudar a aumentar as taxas de atendimento ambulatorial.

Podemos encontrar a pesquisa sobre a importância dos doze passos para tratamento de adolescentes no NCBI – National Center Biotechnologic Information.

Você também pode saber mais sobre toda a pesquisa incluindo outros métodos no site do NIDA, https://www.drugabuse.gov/publications/principles-adolescent-substance-use-disorder-treatment-research-based-guide/evidence-based-approaches-to-treating-adolescent-substance-use-disorders.

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.