JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
ir para o topo

Cresce consumo de drogas sintéticas no Brasil e no mundo

BBC/DEA

Barata e alucinógena, nova droga ‘flakka’ preocupa autoridades nos Estados Unidos. Versão sintética da catinona, é um estimulante similar à anfetamina, que causa excitação e euforia. A ‘flakka’ pode ser injetada, inalada, ingerida ou fumada. Alguns usuários a combinam com outras drogas, como a maconha, ou produtos farmacêuticos.

O ano de 2014 foi um ano atípico para as drogas sintéticas. Naquele período, somente na Europa, foram apreendidos cem novos tipos de alucinógenos feitos em laboratório. De 2008 a 2013 foram descobertos 350 tipos de drogas sintéticas, segundo a UNODC (Escritório de Drogas e Crime das Nações Unidas). A maioria delas vêm de laboratórios clandestinos na Índia e na China, mas são mais consumidas na Europa e nos Estados Unidos, embora haja dados sobre o aumento do uso na América Latina.

sinteticaNas primeiras semanas de abril, foi decretado estado de alerta de saúde em Nova York por causa dos canabinoides sintéticos. Isso porque foram registradas mais de 160 internações pelo uso dessas substâncias.

Segundo a UNODC, no mesmo período, entre as novas substâncias psicoativas usadas no mundo, 28% são de canabinoides sintéticos, 25% de catinonas sintéticas e 17% de fenetilaminas, somando a maioria entre as drogas sintéticas usadas. Na América Latina, foi apontado que 26% usam fenetilaminas, 17% canabinoides sintéticos e 7% catinonas sintéticas.

“Na Europa e nos Estados Unidos, se observa uma substituição das antigas drogas como cocaína e maconha pelos seus equivalentes sintéticos, desde a metanfetamina, o ecstasy e também essas novas drogas psicoativas”, explica o psiquiatra Leonardo Paim, membro do Departamento de Dependência Química da Associação de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, que fez um levantamento sobre três novas categorias de drogas sintéticas descobertas nos últimos anos.

No Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) já incluiu tipos de canabinoides sintéticos, de catinonas e de NBOMe na lista de drogas proibidas na Portaria 344/98 – a última incluída em fevereiro depois de uma apreensão feita pela Polícia Federal em Vila Velha (ES). Segundo a PF, foram apreendidas 220 gramas de NBOMe, o suficiente para produzir 200 mil micropontos.

A Polícia Federal diz não ter as estatísticas de apreensão total de maconha sintética, catinonas e NBOMe no Brasil nos últimos tempos.

Por: Camila Neumam do UOL, em Porto Alegre*

* A jornalista viajou a convite do Congresso do Cérebro, Comportamento e Emoções.

Author avatar
RAV - Renovando a Vida
https://renovandoavida.com.br
Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.